Aumento no preço da carne bovina já é repassado ao consumidor catarinense

O bife das crianças e o churrasquinho do fim de semana estão pesando mais nas finanças das famílias. A carne bovina está até 20% mais cara do que no mês passado. Supermercados e açougues já remarcam preços.

De acordo com a Associação Catarinense de Supermercados (Acats), é uma questão de sazonalidade. Neste período do ano, os pecuaristas seguram o fluxo de abate e, com menos oferta, o preço da carne tende a subir. Pelo levantamento da entidade, a elevação está entre 15% e 20%. Ao detectar esta tendência, os supermercadistas estão fazendo promoções para outros tipos de carne, como frango e porco.

Segundo o açougueiro Otto Manske, a alta varia de acordo com o corte.

— A costela subiu 25%. Está faltando gado. Acho que os preços podem subir ainda mais — diz o presidente da rede de supermercados Giassi, Zefiro Giassi.

O dono da distribuidora Resplendor, Adílio Fernandes, teme que, até setembro, o preço da arroba possa chegar a R$ 100. Hoje, em Chapecó, o preço da arroba do boi gordo chega a R$ 85.

— Os bifes subiram um pouco menos do que carnes como lombo e costela. Em média, o preço sobe entre R$ 0,30 e R$ 0,40 toda semana. Está mais difícil encontrar carne boa. Se continuar assim, é possível que tenha que aumentar em R$ 0,50 alguns preços nesta semana — afirma a sócia da Casa das Carnes, Ivonete Masselai.

Segundo o Centro de Estudos em Economia Aplicada (Cepea), o preço subiu por conta do clima seco, que afeta a oferta.

— A alta é normal nesta época, por causa dos pastos secos. Mas desta vez, o preço subiu mais do que em 2009 — explica o pesquisador Sergio de Zen.

O dono do Frigorífico São João, Laércio José Espíndola, vê outro motivo.

— Os preços estão voltando aos níveis de dez anos atrás.

Substituição por frango é uma opção

Quem quer reduzir o impacto da alta da carne bovina no almoço pode optar pelas carnes brancas. Segundo o dono da distribuidora Resplendor Alimentos, Adílio Joaquim Fernandes, o quilo do frango e do porco subiu menos de 4% nos últimos meses.

— Para compensar os nutrientes da carne vermelha podemos substituir pelas carnes de frango, porco e peixes, que apresentam basicamente os mesmos nutrientes da carne vermelha: proteínas de alto valor biológico, ferro, zinco — explica a nutricionista Priscila Karnopp.

DIÁRIO CATARINENSE

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>


Provided by orange county short sale specialist